Fazer biópsia é preocupante?

Muita gente se assusta quando o médico pede para o paciente realizar uma biópsia, né? Logo se imagina que existam suspeitas, que algo grave está acontecendo. Mas, não há motivo para essa preocupação toda. A biópsia é necessária, quando o especialista não consegue concluir que tipo de alteração o paciente apresenta, mesmo após a realização de exames laboratoriais ou de imagem. É um procedimento muito simples e comum na prática médica, que pode ser realizado em diferentes partes do corpo.


Para você entender melhor: após a aplicação da anestesia local, o profissional médico recolhe um pequeno fragmento de tecido orgânico ou algumas células. Líquidos, secreções e outros materiais orgânicos também podem ser coletados. Depois disso, o material é submetido a um estudo em laboratório, para saber o tipo e o grau de uma possível doença.


Mas olha, a orientação de realizar uma biópsia deve ser feita por um especialista, tá? É importante que o exame seja exercido em uma clínica de confiança. Suas dúvidas precisam estar totalmente esclarecidas, por isso, não tenha medo de perguntar.


Quando a cauterização química é uma boa opção?


A cauterização química é um ótimo tratamento para pequenas lesões na pele como verrugas, queratoses actínicas, queratoses seborreicas, granuloma piogênico (área sangrante que pode surgir depois de um trauma ou machucado na pele) e vários outros problemas. O procedimento que é simples e não requer anestesia, acontece por meio da aplicação de uma substância cáustica ou ácida sobre uma lesão.


É possível que você sinta uma leve ardência durante a cauterização química. Também é normal, que logo após a aplicação, a lesão fique esbranquiçada e avermelhada ao redor, mas não precisa se preocupar, tá? Conforme os dias forem passando, você deve perceber a área tratada ficando escurecida e enrijecida, mas após duas semanas, essa crosta sobre a lesão some completamente.